Institucional
Banco de Imagens
Vídeos
Agenda Brasil - Curso para jornalistas
 

Assessoria de Imprensa - FAAP

Tel: (11) 3662-7270 / 7271/ 7029

Tatiana Serafino
tserafino@faap.br

Iracema de Carvalho
iracema@oboecomunicacao.com.br

Nara Bueno
nara@oboecomunicacao.com.br

 

 
Apresentação  |  Últimas Notícias
 

NA BUSCA POR NOVOS TALENTOS

Empresas participam da feira de recrutamento da FAAP na próxima semana

Responsável por orientar os alunos em um dos momentos mais importantes de suas vidas - a inserção no mercado de trabalho - o Departamento Gestão de Carreira da Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP) realiza no próximo dia 26 de maio uma nova edição de sua feira de recrutamento. Empresas em busca de estudantes para programas de estágios, trainees ou vagas efetivas veem o espaço como uma alternativa para captar novos talentos.

A Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha reconhece que o evento permite o contato direto com o aluno, sem intermediários. A instituição participa da feira todos os anos e nesta edição, mais uma vez, procura estudantes da FAAP para preencher as vagas de estágio para o seu Programa de Novos Talentos.

Anna Louise Carvalho, formada em Publicidade e Propaganda pela FAAP, fez parte do programa durante a faculdade. Hoje ela é gerente de Assuntos Associativos da Câmara Brasil-Alemanha. “Fazer parte de um programa de estágio me fez desenvolver habilidades que nunca imaginei que teria com tão pouca idade. As atividades no trabalho complementavam meu curso e auxiliaram muito em meu amadurecimento profissional e pessoal. Fazer estágio é um complemento da graduação e formação de cada um”, acredita.

A feira de recrutamento FAAP Carreira, organizada desde 2001, conta nesta edição com 25 estandes de empresas, além de um workshop sobre processos de seleção.

Novas vagas - Além de promover a feira de recrutamento, o Departamento Gestão de Carreira da FAAP recebe diariamente ofertas de vagas das empresas e dos agentes de integração como o CIEE. Em 2014, a área fechou pouco mais de 1.300 contratos de estágios, sendo a maioria para os cursos de Publicidade e Propaganda, Administração, Direito, Arquitetura e Engenharia (Civil, Elétrica, Mecânica, Produção e Química).

Os contratos fechados em 2014 são, em sua maior parte, de estudantes do 7º semestre. “As empresas dão preferência a esse semestre porque o aluno já passou por quase todas as disciplinas e está mais preparado, além de poder ficar ao menos um ano como estagiário”, explica Simone Tavit, coordenadora do Gestão de Carreira da FAAP. Mas ela nota que a procura começa a crescer a partir do 5º semestre.

Outro destaque da área levantado pela coordenadora é em relação à média geral da bolsa-auxílio, que vem aumentando nos últimos anos – R$ 876 em 2012 para R$ 1060 em 2014. Mas há uma movimentação da média por curso. Em 2012, por exemplo, a média da bolsa-auxílio para os estudantes de Economia era de R$ 1.112 passando para R$ 1.583 em 2014; para estagiários em Engenharia Mecânica a média era de R$ 991 e subiu para R$ 1.489. Para os estudantes de Direito, passou de R$ 832 para R$ 978.

Pesquisa – Uma pesquisa realizada pelo Departamento Gestão de Carreiras com os Recursos Humanos de 20 empresas levantou os principais diferenciais avaliados em uma seleção de estagiário. O resultado, em ordem de importância, ficou assim: boa comunicação (1º), domínio de português (2º) e desempenho acadêmico (3º) no topo da pesquisa, seguidos por domínio de informática e mídias sociais (4º), atividades extracurriculares (5º), fluência em inglês (6º), experiências anteriores e de estágio (7º), trabalho voluntário (8º) e vivência internacional (9º).

Perguntados se os jovens de hoje estão preparados para o mercado de trabalho, 65% dos entrevistados acreditam que sim. Na visão de Bárbara Steinberg, do RH da Alfa Consulting, os jovens estão preocupados em ter a formação necessária. “Eles estão buscando ter outros idiomas, cursos de pós-graduação ou MBA”, diz.

Na opinião da coordenadora de Recursos Humanos da Daiichi Sankyo Brasil Farmacêutica, Priscila Moeller, tecnicamente os jovens estão preparados porque buscam diferentes qualificações desde muito cedo. “Por outro lado não estão com maturidade para enfrentar o mercado de trabalho e apresentam baixa tolerância à frustação”, considera.